Em meio a uma entrevista coletiva após o treino oficial do Grande Prêmio da Alemanha de Fórmula 1, Fernando Alonso fez uma piada, declarando que não estará mais na categoria em 2021. O bicampeão espanhol respondeu dessa forma quando lhe foi perguntada sua opinião sobre as alterações técnicas que estão sendo preparadas para a competição após o final do ciclo atual dos motores “híbridos”, no final de 2020.

O percurso de Alonso na Fórmula 1

Apesar de não vencer uma corrida desde 2013 nem um campeonato desde 2006, Alonso é considerado por muitos o melhor piloto da F1 atual, à frente de Lewis Hamilton ou Sebastian Vettel. O espanhol nunca deu provas de perder seu talento natural e sempre se bateu bem com os mais diversos colegas de equipe, como Massa, Raikkonen ou Button.

Contudo, suas escolhas de equipe limitaram bastante suas possibilidades. Sua decisão de sair da McLaren no final de 2007 poderá ter custado a vitória no campeonato de 2008, que fugiu para Hamilton. A saída da Ferrari no final de 2014 não funcionou; na verdade, a Ferrari poderá vencer um campeonato em 2018, antes dele próprio. Mais grave terá sido seu papel no caso Spygate (2007); diz-se que, até hoje, a Mercedes recusa contratá-lo por isso.

O futuro… Indycar?

Apesar de Alonso ter sublinhado que estava só fazendo piada, o cenário é provavelmente bem sério. Alonso parece estar totalmente em sua melhor forma e poderia fazer 19 ou 20 temporadas consecutivas (ele começou em 2001, esteve como piloto de testes em 2002 e alinhou na Renault a partir de 2003). Porém, ele quer vencer e as hipóteses de vencer na F1 parecem muito remotas.

Alonso venceu de forma brilhante as 24 Horas de Le Mans no passado mês de julho. Falta vencer as 500 Milhas de Indianápolis para vencer a chamada ‘Tripla Coroa’ (Indy, Le Mans, Mônaco) que só Graham Hill conseguiu no passado. A Indycar é, por isso, uma forte hipótese.