A temporada de 2018 da MotoGP está se revelando um grande espetáculo, que ajudará a definir a história. Os dois pilotos em atividade com mais campeonatos conquistados estão, após o GP da Alemanha, nas duas primeiras posições do campeonato. Ambos já têm um lugar na história e, com o anúncio da retirada de Jorge Lorenzo no final da temporada, poucas dúvidas haverá que eles são os mais fortes pilotos em atividade.

De um lado tem Marc Márquez, o mais jovem campeão de sempre e também o mais jovem tetracampeão de sempre da história da MotoGP/500cc. Vem dominando a categoria desde que surgiu em 2013, sendo também o primeiro piloto a vencer o campeonato em sua primeira temporada desde Kenny Roberts em 1978. Com apenas 25 anos e uma longa carreira pela frente, ele ameaça colecionar todos os recordes da categoria e se tornar no maior piloto da história.

Do outro lado tem Valentino Rossi, o piloto que já esteve na posição de Márquez, e a quem falta um título para igualar Giacomo Agostini (Rossi venceu 7 campeonatos, contra 8 do lendário campeão das décadas de 60 e 70 do século passado). Já é o piloto com mais vitórias da história (89, contra 68 de Agostini e 40 de Márquez). É fato que não vence um título desde 2009. Todavia, aos 39 anos, Rossi alia a velocidade à experiência, e ninguém sabe dizer quando é que ele poderá se retirar. O próprio já falou que não está pensando nisso.

A rivalidade

Desde 2015 vêm se sucedendo as lutas, as trocas de palavras e as colisões entre os dois; a última veio no GP da Argentina, onde Márquez derrubou Rossi e foi muito criticado por vários pilotos, por sua atitude perigosa ao longo da corrida.

Valentino Rossi já falou até que tem muitas diferenças entre a situação dele com Márquez e a de Senna e Prost. Mas o certo é que está cada vez mais parecido.